Portal de Notícias do Estado do Paraná

MENU
Logo
Segunda, 12 de abril de 2021
Publicidade
Publicidade

Atlético Mineiro

A caminho do Atlético: relembre a trajetória de Rodrigo Caetano no Inter

Dirigente chega a Belo Horizonte nesta quarta-feira para uma reunião com a diretoria alvinegra, que deve oficializar o acordo entre as partes

570
Publicidade
Publicidade
Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Rodrigo Caetano deverá ser oficializado em breve como novo diretor de futebol do Atlético, após reunião agendada para esta quarta-feira, em Belo Horizonte. No clube alvinegro, o gestor terá pela frente um desafio bem diferente em relação ao que encontrou no Internacional, quando assumiu o cargo em maio de 2018.

Em Porto Alegre, Caetano foi incumbido da missão de reconduzir a equipe ao protagonismo perdido nos anos anteriores. O Inter havia sofrido um inédito rebaixamento em 2016; em 2017, conquistou o acesso como segundo colocado, atrás do campeão América. Os meses que antecederam a chegada do dirigente em 2018 também não foram dos melhores, com eliminações precoces no Campeonato Gaúcho e na Copa do Brasil, além de um início mediano no Brasileirão.

“É óbvio que o torcedor fica desconfiado. Não resta a menor dúvida que o torcedor tem esse direito. Cabe a todos nós aqui, todos os engajados, recuperar essa autoestima, para que o torcedor perceba que estamos em um dos maiores clubes do futebol brasileiro e mundial”, disse Rodrigo Caetano durante a entrevista de apresentação no clube gaúcho.

Ao longo da trajetória de dois anos e sete meses, concluída em dezembro de 2020, o dirigente ajudou o Internacional a retomar o posto de protagonista no futebol nacional. Os resultados não demoraram a aparecer, e o time terminou o Campeonato Brasileiro de 2018 na terceira posição - melhor desempenho da história de uma equipe que acabara de voltar da Série B.
 

Longevidade de Hellmann

 
Entre os trunfos de Caetano esteve a manutenção do técnico Odair Hellmann mesmo em momentos turbulentos. O comandante havia assumido a equipe ainda na Série B de 2017 (antes da chegada do dirigente), permaneceu no cargo até outubro de 2019 e teve papel fundamental na reconstrução colorada.
 
Além do terceiro lugar no Brasileiro de 2018, a parceria Caetano-Hellmann ajudou o Inter a chegar à final da Copa do Brasil de 2019. Na decisão, a equipe foi batida pelo Athletico-PR de Tiago Nunes. O insucesso no mata-mata e uma sequência negativa na Série A aumentaram a pressão sobre o treinador, que foi demitido.
 
Depois de Hellmann, a diretoria colorada apostou num projeto que seria, novamente, a longo prazo: Eduardo Coudet, vitorioso à frente do Racing. Antes da chegada do argentino, marcada para o início de 2020, Zé Ricardo assumiu interinamente o Inter na reta final do Brasileirão de 2019.

Fonte/Créditos: Portal Paraná Urgente

Créditos (Imagem de capa): Foto: Ricardo Duarte/Internacional)

Comentários:

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade