Portal de Notícias do Estado do Paraná

Sabado, 20 de Julho de 2024
Governo do Paraná
Governo do Paraná

Cidades

O caso do descarte irregular de maionese em Maringá ganhou um agravante

Caso a empresa não siga as determinações do IAM, estará passível de autuação

Clécio Silva
Por Clécio Silva
O caso do descarte irregular de maionese em Maringá ganhou um agravante
Andye Iore / Procon Maringá
Espaço para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.

O caso do descarte irregular de maionese em Maringá ganhou um agravante. O Instituo Ambiental de Maringá (IAM) está entregando notificações para a empresa que foi identificada na última quinta-feira (13) em vistoria do Procon, da Prefeitura de Maringá. São seis pontos que estão em desacordo com as leis. O caso também será encaminhado para o Ministério Público e para o Instituto Água e Terra (IAT-PR). 

Caso a empresa não siga as determinações do IAM, estará passível de autuação por: descarte dos sachês de maionese na área rural; descarte dos sachês em área de fundo de vale e no córrego; destinação de resíduos a empresas sem autorização para realizar essa atividade. “A empresa tem cinco dias para tomar as providências que estão nas notificações”, informa a diretora-presidente do IAM, Juliane Kerkhoff. “Caso não faça, o IAM aplicará as sanções devidas”. 

Entre os pontos nas notificações do IAM estão:
* embargo do efluente de pintura em galeria pluvial;
* embargo da cabine de pintura, pois essa atividade não está prevista no alvará e nem na licença prévia emitida pelo IAT;
* recolhimento dos resíduos de maionese descartados no córrego Morangueiro, e apresentação de certificado de destinação correta desses resíduos;
* notificação como grande gerador, uma vez que foi verificado que a empresa atende os requisitos do decreto do grande gerador;
* apresentação dos seguintes documentos: Outorga para captação de água (poço), notas da lavagem e manutenção da frota, notas da limpeza das fossas do empreendimento, contrato e/ou certificado de destinação dos resíduos de madeira à empresa devidamente licenciada.
* cessar a prática de queimada no quintal do estabelecimento.

Leia Também:

Uma terceira empresa foi registrada no caso. É uma que recebeu resíduos para queima em caldeira. Segundo o IAM, a companhia já havia sido vistoriada anteriormente e não tem alvará para essa atividade. A técnica em Meio Ambiente do IAM, Elfrida Guerreiro Pontes Rodrigues, também ressalta que IAM vai embargar o funcionamento da caldeira. 

O QUE – O Procon recebeu denúncia há duas semanas de um descarte irregular de sachês de maionese na zona rural. A fabricante Heinz foi notificada para informar quem comprou os produtos. "Com a resposta da fabricante, indicando uma rede de supermercados como compradora e uma de logística que fez o transporte, começamos a investigar e confirmamos o crime", explica o coordenador do Procon, Edjalma Alves. A vistoria na empresa contou com o IAM que flagrou outras irregularidades e também notificou a empresa. Ambos os órgãos públicos aguardam as respostas para definirem as sanções. 

CANAIS DO PROCON:
* Whats app: (44) 98402-0433 ou 98402-0278
* Atendimento: 151 
* E-mail: procon@maringa.pr.gov.br

DIVULGAÇÃO
* Instagram: @proconmaringa

FONTE/CRÉDITOS: Andye Iore / Procon Maringá
Comentários:
Clécio Silva

Publicado por:

Clécio Silva

Clécio Silva, Brasileiro, casado, cristão, nascido no dia 8 de setembro de 1974 natural de São Pedro do Ivaí - Paraná. Residente em Maringá há 30 anos, hoje também reside na cidade Marialva, onde é proprietário do JORNAL DE MARIALVA,...

Saiba Mais

Nossas notícias no celular

Receba as notícias do Paraná Urgente no seu app favorito de mensagens.

Telegram
Whatsapp
Entrar

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!