Portal de Notícias do Estado do Paraná

Sabado, 20 de Julho de 2024

Geral

O Ambiente Futebol precisa evoluir.

O Brasil visto das arquibancadas.

Júlio Castro
Por Júlio Castro
O Ambiente Futebol precisa evoluir.
Espaço para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.

Falta motivação, enquanto sobram preleções e palestras motivacionais, faltam compromisso e dedicação, enquanto sobram longos contratos, belos salários e grandes mordomias. Sobram tatuagens, penteados, adereços brilhantes e coloridos, enquanto faltam cultura, educação e exemplos. Falta palavra, enquanto sobram promessas e declarações de amor eterno. Com raras e honrosas exceções, acompanhar transmissões de jogos, comentários e entrevistas em nosso país tropical, vendo e ouvindo nossos valorosos atletas é uma sessão de tortura para todos que procuram no esporte algo mais que apenas a cura de algumas feridas através de vitórias fortuitas. Torcer por seu time é maravilhoso, independente de grandes vitórias e títulos, encontrar uma paixão, identificar-se com as cores de um time, criar laços de amizade e companheirismo com pessoas que escolheram a mesma equipe para torcer. Ter ídolos. Desopilar, gritando loucamente, pulando, vibrando ou esmurrando o ar, no estádio ou em frente a televisão, sob olhares perplexos de familiares ou rodeado de outros surtados iguais a você, faz bem, libera demônios e nos deixa leves. Mas uma engrenagem muito azeitada, desvirtua tudo isso e enfia goela abaixo muitos jogos, cria rivalidades e inventa craques. Atletas que iniciaram ontem sua trajetória profissional, acertaram dois passes, um lançamento e fizeram um gol, tornam-se, da noite para o dia, fundamentais para qualquer projeto vencedor e assistimos seu valor subir enquanto ele muda o jeito de vestir, de andar, de tratar a todos. Hoje marca o gol e beija o escudo, amanhã sai chutando tudo e xingando porque foi substituído. Hoje na entrevista diz que deve tudo ao Clube, ao seu atual técnico e ao Presidente, amanhã assina um pré-contrato na sombra e depois de amanhã nega tudo ou aparece com a camisa do novo Clube, sorrindo e fazendo novas, mas não inéditas, juras de amor eterno. Paralelo a essas atitudes menores dos atletas, técnicos repetem fiascos cotidianamente. Chutam os microfones e garrafinhas, berram na cara do quarto árbitro, azucrinam bandeiras e xingam árbitros. Mas quando perguntados sobre as falhas e carências de suas equipes, torcem o nariz, reviram os olhos, algumas vezes soltam um sorriso irônico ou armam a cara de mau e em noventa e nove por cento das oportunidades não respondem ao que de fato lhes foi questionado, depositando a culpa no elenco, no exíguo tempo de treinamento ou apenas chamam o infeliz que fez a pergunta de burro, do alto sua mais nobre e descarada arrogância. Ainda temos os senhores dirigentes, pessoas da mais alta conta que bradam aos deuses e dirigem-se tresloucados a CBF e a sua inominável Comissão de Arbitragem, quando seu time é, em sua opinião, “garfado”. Uma semana depois o árbitro amigo resolve as dificuldades de sua equipe, inventando um pênalti, expulsando um adversário por algo que ninguém jamais entenderá ou aplicando notáveis, nojentos e inacreditáveis oito minutos de acréscimo, ou até empatar como estamos nos acostumando a dizer e livra a barra do dirigente, este então cala-se ou reage lembrando de outro jogo, em mil novecentos e bolinhas, onde o mesmo árbitro prejudicou seu time. E assim vivemos na esperança de que nasçam novos fenômenos, novos baixinhos, uma nova versão de anjo de pernas tortas ou algum dentucinho fora de série para nos tirar da fila e do marasmo desse futebolzinho engessado, sem brilho e previsível dos Paquetá, Militão, Danilo e Marquinhos da vida. Viva o futebol brasileiro e que nos livrem de qualquer professorzão de Sete a Um

 

 

Leia Também:

Esta Coluna é dedicada a minha filha Isadora. Através do amor, ela aprendeu tanto que hoje ensina e me orgulha. Filha, toda luta, toda busca, todo esforço que são dedicados a causas nobres encontram um lugar especial e aconchegante. Tudo vale a pena, estamos com vocês.

Comentários:
Júlio Castro

Publicado por:

Júlio Castro

Júlio Castro

Saiba Mais
Microline
Paraná
170 Anos PMPR

Nossas notícias no celular

Receba as notícias do Paraná Urgente no seu app favorito de mensagens.

Telegram
Whatsapp
Entrar
Paraná

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!