Portal de Notícias do Estado do Paraná

MENU
Logo
Quinta, 29 de julho de 2021
Publicidade
Publicidade

Política

TSE dá 15 dias para Bolsonaro apresentar provas sobre acusação de fraude nas urnas

Presidente alega que eleições de 2018 foram fraudadas e ele deveria vencer no primeiro turno.

350
Publicidade
Publicidade
Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

O ministro Luís Felipe Salomão, corregedor do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), deu, nesta segunda-feira (21), um prazo de 15 dias para Jair Bolsonaro (sem partido) explicar as declarações sobre supostas fraudes nas eleições de 2018. O presidente alega que deveria ganhar as eleições em primeiro turno, mas, devido uma manipulação, a disputa foi para segundo turno.

Devido a declaração do presidente, foi instaurado um procedimento administrativo para apurar a existência ou não de elementos concretos que possam ter comprometido os pleitos de 2018 e 2022.

O presidente e seus aliados frequentemente dão declarações sobre a desconfiança sobre as urnas eletrônicas, alegando que não são seguras e de fácil manipulação. Por conta disso, pedem o voto impresso já em 2022. Eles afirmam que, sem a mudança, a eleição de 2022 não será confiável.

Na última semana, o ministro Luís Roberto Barroso disse que, diante das acusações sobre supostas fraudes eleitorais, Bolsonaro tem "dever cívico" de apresentar provas.

"Nunca houve fraude documentada. Jamais. Apenas o pedido de auditoria solicitado pelo então candidato Aécio Neves e que não se apurou impropriedade porque não há. Se o presidente da República ou qualquer pessoa tiver provas [sobre fraude] tem o dever cívico de entregá-la ao Tribunal e estou com as portas abertas. O resto é retórica política, são palavras que o vento leva", disse o ministro.

Fonte/Créditos: Catve c/ informações de TV Cultura

Créditos (Imagem de capa): Palácio do Planalto

Comentários:

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade