Portal de Notícias do Estado do Paraná

MENU
Logo
Quinta, 24 de junho de 2021
Publicidade
Publicidade

Cidades

Em menos de seis meses, mulher perde filhos, marido e genro para Covid-19 em Francisco Beltrão

Dona Maria também enfrenta o medo ao ver filha internada por conta da doença.

227
Publicidade
Publicidade
Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Em menos de seis meses, a dor do luto por conta da Covid-19 assolou a vida da Dona Maria. Aposentada e moradora de Francisco Beltrão, no oeste do Paraná, ela perdeu dois filhos, o marido e também o genro para a doença.

A idosa também enfrenta a dor e o medo diante da situação da filha, internada em estado grave com complicações da Covid-19.

 "Meu Deus, eu não estou conseguindo mais, é uma luta atrás da outra né. Você não consegue, você não tem mais nem o que falar mais, é muito triste. Eu peço para ninguém passar por isso, ninguém, eu sei que eu estou chorando sangue e não consigo trazer nenhum mais perto de mim", desabafou.

A primeira perda aconteceu em novembro do ano passado, quando o marido faleceu aos 76 anos. Segundo Maria, os dois foram infectados juntos pela doença, e ele cuidou dela enquanto pôde.

Seu Mendonça teve piora no quatro e chegou a ser internado por conta do novo coronavírus, mas não resistiu e morreu.

Eles eram donos e trabalhavam juntos em uma mercearia da cidade. Para ela, a dor de entrar no local ainda é grande.

 "Não tem o que console, não tem o que conforme, você pode conversar, pode sair mas não.. não consegue esquecer, de ninguém, nunca esquece mesmo né. É uma coisa que é insuportável, meu Deus, só Deus e Deus", lamentou.


Perda dos filhos

Em março deste ano, com duas semanas de diferença, a idosa viu dois filhos, Veroni, de 46 anos, e Osni, de 51, perderem a vida por complicações da Covid-19. Segundo Maria, os médicos choraram junto à família ao comunicar a morte de Osni.

"Quando chegou um dia ele falou 'olha nós fizemos de tudo e não pudemos salvar', aí ele chorou junto com os filhos dele, porque ele não pôde dar a volta, é muito triste. [Os médicos] choraram junto com esse piazinho ali. Ele dobrava o joelho nas pedrinhas pedindo a volta do pai dele", relembrou.

Dois meses depois, em maio, dona Maria enfrentou novamente a dor do luto em meio à pandemia do novo coronavírus. O genro, de 55 anos, morreu no hospital vítima da doença. "O coração dói", afirmou a idosa.

Ela também enfrenta a expectativa pela saúde da filha, que está internada em estado grave por causa da Covid-19. Dona Maria afirmou que ora todos os dias pela jovem.

"Direto em oração e peço oração pra quem pode orar por ela, que Deus tenha misericórdia porque chega de eu sofrer, né. Meu Deus, já foi tudo a minha família", disse, entre lágrimas.

A idosa também lamentou a demora na vacinação contra a Covid-19. Segundo Dona Maria, a história da família poderia ter sido diferente caso os imunizantes chegassem com mais rapidez à população.

"Eu acho que se tivesse vindo a vacina bem mais antes podia ter evitado isso né, porque não é só eu hoje. Tem bastante gente que tá passando, mas eu sei por eu né, a dor que eu sinto porque meus filhos eram tudo unidos", afirmou.

 

Coronavírus em Francisco Beltrão

Francisco Beltrão tem 13.042 casos confirmados do novo coronavírus, com 9.426 pessoas recuperadas e 194 mortes registradas pela doença, de acordo com boletim divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) nesta quinta-feira (27).

Fonte/Créditos: G1 PR

Créditos (Imagem de capa): Reprodução/RPC

Comentários:

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade